quarta-feira, 24 de junho de 2009

Parte VIII

Olhando para o vazio
Perdendo-se dentro de si
Quando se deu por conta,
Quem seria ela?!
Havia encontrado seu espelho
Tão iguais, tão perfeitas
Nada as entendiam tão bem quanto elas mesmas
Sentiam o mesmo,
Faziam o mesmo,
Eram o mesmo...
Se pareciam tanto,
Que a jovem até se assustava...
Não era preciso dizer, nem ao menos olhar
Se comunicavam com o coração
Uma emsma alma, seguindo caminhos diferentes
Era tudo tão inacreditável
Tudo tão idêntico
Nascidas e movidas pela mesma incógnita
Pelo mesmo medo, pela mesma dor
Queriam ser livres,
Mas tinham medo de voar
Queriam amar
Mas não permitiam-se apaixonar
Unidas, iriam encontrar suas forças
Juntas, saberiam à qual caminho percorrer
E através do balanço, descobririam o indecifrável
Tirariam os pés do chão,
Mesmo que por um instante, voariam
Prometeram nunca se afastar
Juraram que iriam se eternizar
Assim, ficou claro
Eram elas
As irmãs de alma,
As gêmeas de sentimento...

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. PRIIIIIIIIIIIIIIIIII =O
    putz q lindo, q lindo, q lindo
    eu tenho toda sorte do mundo por ser tua irmã,
    pri vc e perfeita, e a gente nunca nunca mesmo vai se separar

    pq temos os mesmos medos...
    pq nos entendemos num olhar
    amigas forever

    ResponderExcluir